Foi um dos fundadores da Associação Portuguesa de Arte Fotográfica (que resultou da extinção e reformulação do Foto Clube 6x6) a cuja Direção pertenceu durante três mandatos, desde 1973 até ao início dos anos oitenta.
Coautor de um dos primeiros diaporamas não-comerciais realizados em Portugal, intitulado “Aconteceu no Futuro, Ontem, ou Hoje”, estreado na Sala de Cinema do Palácio Foz em 1979.
Após abandonar a fotografia durante mais de vinte anos retomou esta atividade em 2002, com a redescoberta da magia do laboratório fotográfico... primeiro através da manipulação da imagem por métodos informáticos e, mais recentemente, retornando aos processos “tradicionais” do analógico.
Participou em diversas exposições individuais e coletivas, nomeadamente  “(In) Slow Motion - Retro & Toy Cameras”, realizada em parceria com a autora Elsa Mota Gomes,  que foi apresentada em Lisboa no espaço Sousa Valles em 2009, no Centro Cultural Malaposta em 2010 e Galeria do Paço da Cultura da Guarda em 2011 e na instalação "Já só Eco. Já só Memória", em 2017 na Arte Graça, em Lisboa.
No âmbito do “f2.8 Colectivo de Fotografia”, participou nas exposições “Arribas – Paisagens, Geologia, Fauna e Flora” (Museu Nacional de História Natural, Lisboa, 2007, Forte de Peniche, 2008) "Os sentidos da água"  (Centro de Arte e Espetáculos da Figueira da Foz, 2008) ; “ mALdITAS (im)Perfeições” Galeria J. Sousa Valles, Lisboa, 2009; “Como quem lavra as entranhas da Terra” – Projecto Minas - Museu de Arte Popular,  Lisboa, 2013; " As Cidades Visíveis (tornar visíveis as cidades invisíveis )", - Galeria J. Sousa Valles, Lisboa, 2013.

Tem trabalhos publicados na Thiaps-International Analogue Photographic Society e na edição on-line da Black & White Magazine.
Em 2015 editou o livro “Myanmar - O milagre de viver sorrindo”.
É coautor e webdesign do site Casaldasletras.com.
Foi professor de fotografia na UNISBEN- Universidade Intergeracional de Benfica.

É membro de

   f2.8 Colectivo de Fotografia.

e da
upp


© Armando Cardoso. All rights reserved.